quinta-feira, 19 de setembro de 2013


Você pode morar sozinho. 
Com alguém. 
Com muitos.

Longe. 
Triste. 
Realizado.

Seu corpo pode ocupar qualquer parte da terra.
Pisar em qualquer cidade.
Bairro.
Casa.

Sempre haverá um porto. Um lugar que não precisa ser fixo, mas que, contrariando a lógica, é onde está o nosso alicerce.

Raízes tão profundas que são as responsáveis por nos manter perto, mesmo quando estamos longe. Sentimentos maiores que nos prendem e, exatamente por isso, nos dão total liberdade para seguir.

Nada é tão prazeroso quanto voltar a lugares de onde nunca saímos.

Fernanda Gaona

Ilustração: Ana Ventura

6 comentários:

Gisa disse...

E se achar sem perceber.
Um bj

Elisa Mello disse...

Gostei *-*

Liza Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Liza Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Liza Leal disse...

Delícia de texto.
Amei seu recanto.

=)

Lílian Neves disse...

Adorei o poema e seu blog, é lindo e "clean", voltarei mais vezes :)

Bjs,
Lili

Palavras ao Vento...
http://lillyneves.blogspot.com.br/

&

Dicas da Lillie
http://lilianlilineves.blogspot.com.br/