quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

E se fossemos além...


E se fossemos além, só um passo à frente?
Se fossemos mais fundo, somente um pouco a mais do que já fomos?
E se olhássemos além do que vemos, apenas alguns segundos, olhos nos olhos daqueles olhos que desviamos?

Se abandonássemos o caminho dos pés, que por vezes nos fazem tropeçar?
E se déssemos ouvidos aos lugares comuns ouvidos na infância?
E se ouvíssemos um segundo a mais, antes de formar a cega resposta que mais tarde será a causa da dor?

E se ao invés do primeiro, nos permitíssemos chegar em segundo, terceiro ou outro lugar em qualquer lugar que fosse?
Se o que valesse fosse apenas chegar, e chegando festejar, e festejando sorrir, e sorrindo abraçar quem nunca desejamos.

E se mudando de caminho, nos encontrássemos a nos mesmos, á margem, com todos os velhos sonhos, músicas, e amigos?
De que tamanho seria a dor se percebêssemos que estamos longe do que fomos?
Que nossos pés nos enganaram e nossos olhos mentiram?

Se repentinamente, buscássemos as diferenças?
Se os dentes afiados se transformassem em beijos de boas vindas?
Se escolhêssemos aprender sem dor?
Ainda seriamos os mesmos.



Adriel Gennaro

15 comentários:

Gisa disse...

Não, seríamos melhores.
Um bj querida amiga

Flávio Catão. disse...

Seríamos os mesmos sim, mas sem medo de não ter feito alguma coisa!
;)

Um beijo.

remall disse...

Pouco importa se seríamos os mesmos, ou os mesmos diferente.
Importa que teríamos tentado. Igual ou diferente,
teríamos vivido,
algo que nunca em sonho teríamos conquistado.

MOISÉS POETA disse...

Maravilha de texto, maravilha de postagem...! bom para ler e refletir !

um beijo!

Contos da Joii disse...

O ato de tentar, já faz de nós melhores. beijos da Joii.

Bruna F. T. disse...

Talvez fôssemos os mesmos, só que melhorados. Com menos pudor e mais iniciativa.

"E se olhássemos além do que vemos, apenas alguns segundos, olhos nos olhos daqueles olhos que desviamos?"

Adorei (:

Laércio Neto disse...

"E se olhássemos além do que vemos, apenas alguns segundos, olhos nos olhos daqueles olhos que desviamos?"

A gente ia ver aquilo que fingimos não ver por conveniência. A gente veria a VERDADE.

Adorei o post !

me segue, please, to te seguindo também.

E.R. disse...

Seria tão dificil ser outro!?!
não podemos ter medo, medo de mudar, medo de nós mesmos... e
medo dos medos.


Beijo.

Segunda Pele disse...

http://o-poder-da-imagem.blogspot.com/ adere ao nosso projecto começando por seguir o blog e deixar uma reacção. Nós agradecemos :)

Tilida5ever Design-Rosinha disse...

Sorteio no meu blogue!Participa...

Ouro azul disse...

Visita e segue o blog da Água e mantém-te atento sobre este recurso que se está a tornar tão escasso.
Beijinhos, Ouro Azul.

Insana disse...

Sem dor???
aprendi que que é preciso doer para ser gostoso..

bjs
Insana

Priscila Rôde disse...

E se esquecêssemos os se's e pesares, iríamos além do quase?

Um beijo. Belo texto.

Marianna Rodrigues disse...

Estonteante!
Me apaixonei por seu blog...
Estou seguindo!

Um beijo querida!

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Gosto da tua poesia ...!