terça-feira, 9 de junho de 2009

”Mesmo sem compreender, quero continuar aqui onde está constantemente amanhecendo”


“Quando há sol, e esse sol bate na minha cara amassada do sono ou da insônia, contemplando as partículas de poeira soltas no ar, feito um pequeno universo; repito sete vezes para dar sorte: que seja doce, que seja doce, que seja doce e assim por diante. Mas,se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder. Tudo é tão vago como se fosse nada(...)
Que sejamos doce. E seremos, eu sei..."


Caiooo

Um comentário:

' a Ana é azeda. disse...

Caio, Caio, Caio... Eu nunca me canso de ler nada dele! E aqui é sempre tão cheio dessa coisa linda que ele é!

' Que seja doce!

Beijos ;*