segunda-feira, 30 de novembro de 2009

“Um lugar deve existir uma espécie de bazar onde os sonhos extraviados vão parar” Chico Buarque


"Foi muito de repente, mais do que poetizou Vinícius.
Na estrada quase morta de todo dia tive saudade dos sonhos.
Dos sonhos óbvios. Dos sonhos possíveis.
Lembrei que julguei ter laços resistentes aos lenços.
Lembrei que já tive força para mudar o mundo. E não mudei.
Lembrei de tantas vezes que falei quando deveria calar.
E de outras que julgando ser prudente emudeci com a presunção de um sábio.
Lembrei de todas as desculpas que inventei pra não ligar, pra não escrever. E de tantas outras que criei pra não dizer que amava, que amei. Lembrei de tantos perdões que neguei.
Lembrei das razões que criei pra não ir e das outras que acreditei pra ficar.
Lembrei do tempo em que o tempo não passava.
E foi lembrando que vi chegar o fim de mais um dia com apenas um punhado de sonhos adormecidos. Tudo ficou crônico demais."


Adriel Gennaro

2 comentários:

brechó trechic baratissimo disse...

muito lindo e muito lúcido!!!
é bom nos faz acordar e querer viver!!!

Sereia disse...

Boa noite amiga.
Um beijo procê.